segunda-feira, 9 de junho de 2014

TOP 5 - Punhos de Aço



Golpe de caratê, murro certeiro, soco gigante. Chame como quiser, a verdade é que nos anos 80 e 90 a moda era o exagero. E não tem nada mais exagerado do que a mão de alguns personagens ficarem maior do que suas cabeças na hora de dar uns sopapos. O Master System teve alguns jogos assim. Jogos alguns que viraram clássicos. Bora conferir esse top 5 e que a porrada role solta:

5° Lugar - Battletoads in Battlemaniacs (1994)


Pimple e Rash são dois sapos bons de luta. Velhos conhecidos dos gamers, só chegaram ao Master System nesse jogo, lançado um ano antes para SNES. A marca registrada desses girinos vitaminados sapos malucos são os golpes exagerados, que transformam seus punhos, assim como os chutes e cabeçadas em armas gigantes (martelos, coturnos, chifres, etc). A dupla fica em quinto lugar apenas por um motivo: chegaram tarde demais ao nosso querido console.


4° Lugar - Ghost House (1986)

(desculpa a imagem ilustrativa, mas não tenho uma do personagem)

Mick é um orelhudo jovem caçador de vampiros que se lança numa aventura suicida de caça às bruxas aos Dráculas (é estranho, mas no jogo existem 5 deles). De início, o garoto está armado apenas com seus punhos enormes, mas é possível coletar armas pulando em cima delas quando atacado, por exemplo a flecha, que é bastante útil. Seus socos ficam grandes quando usados, mas apesar de não serem tão impressionantes quanto os de Pimple ou Rash, Mick ganha o quarto lugar desse TOP 5 pela coragem de entrar em mansões mal assombradas lotadas de monstros no melhor estilo "Remo, desarmado e perigoso".


3° Lugar - Dynamite Dux (1989)



Não é todo dia que a gente vê um pato azul topetudo socando quem ou o que tiver pela frente com tamanha fúria. Na verdade, Bin - o Pato (Mickael na versão SMS), era um rapaz comum, até que sua namorada Lucy é raptada por Achacha e levada em uma bolha para sua dimensão enquanto o herói é transformado na versão azul do Donald em um pato. Sem pensar duas vezes, nosso herói bicudo sai em seu encalço distribuindo porrada. E basta carregar o botão de soco para mandar um "megamurro" na cara da galera. Durante o jogo você ainda pode coletar armas, mas essas expiram voltando a deixar o marreco pagando o pato herói apenas com seus punhos pra prosseguir no resgate. Um baita jogo, com baitas porradas, dignas de um terceiro lugar nesse TOP.


2° Lugar - Asterix (1991)



O Gaulês mais famoso e querido da história estrela esse jogo sensacional. Ao lado do seu melhor amigo Obelix (também jogável) e Ideiafix, seu fiel mascote, o pequeno e astuto herói tem sua força aumentada sempre que toma um gole do suco de frutas Gummies da poção mágica criada pelo druida da aldeia Panoramix. Não preciso dizer o tamanho que fica o punho do baixinho né? Bom, pelo menos no jogo ele já começa dando porrada, possivelmente já bebeu da poção antes de cada round. É por sua carisma e pelo capricho do jogo que Asterix e seu espinafre sua poção mágica ganham o segundo lugar do TOP dos punhos de aço.


1° Lugar - Alex Kidd in Miracle World (1986)



"Seu nome é Alex Kidd. Você tem uma coragem invejável e um golpe de caratê tão forte que é capaz de despedaçar rochas." - Segundo a descrição do jogo no texto de apresentação (parte de trás da caixa de papelão) o garoto manja dos paranauê é mestre nas artes marciais e consegue socar tão forte que nem blocos maciços e pedras aguentam. Fora isso, a mão do garoto fica tão grande, mas tão grande, que ele nem precisaria daquelas luvas gigantes de torcedores de baseball para agitar com a galera. Muito útil na hora de distribuir porrada tanto quanto na hora de se divertir sozinho no banh... de jogar jokenpô. É claro que o primeiro mascote da Sega ganharia o primeiro lugar aqui, mas não só pela carisma e qualidade do jogo, mas porque realmente o garoto bota banca na hora de mostrar quem manda. Bom, botava né, até chegar um ouriço azul...

12 comentários:

  1. Muito bom Leo! Tava com saudades dos seus Top 5! :D
    Bons tempos quando a lei era descer a porrada nos inimigos no Master System com o Alex Kidd até que os punhos foram substituídos por espinhos e tenis super sônico. E legal lembrar de Battletoads (embora o jogo pro Master e Game Gear ficaram péssimos, só o de Mega se salvou) e Asterix (aqui foi o inverso, o Mega só teve jogo lixo de Asterix, só no Master que teve dois jogaços do baixinho gaulês), verdadeiros porradeiros que merecem estar na lista!
    Abraços :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Adinan, eu que tava com saudades de fazer um Top 5... fazia uma cara q eu não as caras por aqui pra falar de Master, rs
      Bons tempos mesmo... pois é eu não aproveitei (ou perdi tempo) com Battletoads na época... chegou realmente muito tarde. Agora Asterix eu joguei muito, mas muito mesmo! Jogo animal!

      Excluir
  2. Muito legal seu post, Leo!
    São elementos como estes que traziam ainda mais magia aos games do passado.
    Saudosismo ou não, não vejo o mesmo encantos nos games atuais.Coisa de gente velha, talvez...
    Rsss!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Douglas!! Ah, os games do passados eram ricos em detalhes como esse. A imaginação era mais farta, hoje tem muito mais realismo nos jogos. Como você disse, coisa de gente velha pode ser, mas era divertido demais... rs

      Excluir
  3. Olha aí o Top 5 de volta! \o/
    Diria que vc acertou a mão no tópico! E foi uma mãozona! heheheehe
    Eu nunca joguei o Battletoads de Master, mas todos os demais jogos são ótimos!
    Uma pena que o Alex Kidd foi quase completamente esquecido pela SEGA, nem em jogo descompromissado pra celular o mascote aparece. Uma pena mesmo.
    Mas, sobre o tópico, o que mais me entristece nos jogos mais recentes é justamente esta falta de exagero, de coisas mais cartunescas e divertidas... essa paranóia de todas desenvolvedoras em buscar o realismo e a simulação é muito frustrante para alguém que cresceu jogando jogos com personagens de punhos e pés gigantes, ouriço correndo pelado só de tênis (kkk), essas coisas... até nisso falta criatividade para as grandes produtoras. Outra pena.
    Tomara que um dia isso volte, que não fique dependente somente de indies e uma grande first party, a Big N.
    Ótimo texto!
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Cadu! Valeu mesmo!!!
      Então véio, já imaginou um joguinho novo do Alex, mesmo que pra celular? Os caras perdem de ganhar dinheiro, tsc tsc
      Abração!

      Excluir
  4. Show de bola esse post sobre o top 5 Master System de punhos de aços desse grande videogame que já foi um dia considerado por aqui viu.Bons jogos esses ai mencionados cheguei a jogar dois deles o Asterix e o Alex Kidd que ambos zerei depois de muito tempo via emulador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Rock! Eu zerei esses dois na época, foi suado... e precisei de uma mãozinha das revistas especializadas, rsrs

      Excluir
  5. Ótimo Top 5!
    É bom ver o blog movimentado novamente. Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Ótimo post Leo!! Faz falta este teu trabalho.
    Dos 5, o meu preferido é o Asterix, embora o Alex Kidd é eterno.
    Virou uma nota no rodapé da SEGA por motivos que só ela sabe, tem hora que quero achar um motivo - direito autoral de alguém? pesquisa dizendo que algo assim não cola mais? o trauma da versão Mega Drive?
    Mas só não joguei e por coisa do destino não consigo emular o Battletoads, eu tinha a sensação que era exclusivo do NES naquela época.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Rodrigão!!!
      Asterix é um dos meus preferidos também (só que pra mim não mais que Alex Kidd, rs)... quanto a Battletoads, tb não joguei muito, tinha a mesma sensação que vc... mas qdo puder jogue, pelo menos pra não ficar uma lacuna na sua experiência gamer dos jogos do Master ;) Abração!

      Excluir